A PALAVRA CÂNCER DEIXOU DE SER UMA CONDENAÇÃO À MORTE

Quem diz isso é uma personagem de Dora não pode morrer que se curou de um câncer. Com efeito, este deixou de ser uma doença que ninguém tratava e era considerada um castigo do céu.

Em A doença como metáfora, Susan Sontag, que enfrentou durante anos uma leucemia, escreveu sobre a demonização do câncer. O efeito disso é dos mais nocivos, porque enlouquece o doente e o impede de se tratar. Significa que, além da doença, o médico precisa levar em conta o doente e sua fantasia. Do contrário, ele não pode curar.

nadinha

A força do nosso imaginário e a onipotência do desejo são tamanhas que nós fazemos pouco da realidade, ainda que o descaso possa nos prejudicar. Por isso, é inútil se valer de um argumento fundado na realidade para se opor a uma fantasia. Este é um dos ensinamentos básicos da Psicanálise.

Wassily Kandisnky, “Fuga”, óleo sobre tela, 1914.

Comentários sobre "A PALAVRA CÂNCER DEIXOU DE SER UMA CONDENAÇÃO À MORTE"

Enviar uma resposta