O AMOR OFERECE O CÉU E NÃO TEME O INFERNO

Escrevi esta frase pensando em duas mulheres que se acariciavam na praia de Copacabana. A ousadia dos que enfrentam o preconceito sexual, tanto as seguidoras de Lesbos quanto os homossexuais masculinos, é a prova do destemor dos amantes.

O destemor se explica pela felicidade que o sexo propicia. Freud dizia mesmo que nada nos deixa mais felizes do que o sexo e, em matéria de sexo, gosto não se discute.

nadinha

Gosto não se discute em matéria de sexo e de cereja. Assim, alguns franceses só comem cereja coeur-de-pigeon – literalmente, garganta-de-pomba, uma referência a sua cor, que vai de um amarelo claro ao rosado e ao vermelho. Se não for coeur-de-pigeon, com sua requintada acidez, não serve. Isso não decorre do esnobismo, mas do culto francês da degustação. Daí os tantos vinhos e os tantos queijos, a experiência alimentar única que a França propicia.

Egon Schiele, “Amizade”, óleo sobre tela, 1913

Egon Schiele, “Amizade”, óleo sobre tela, 1913

Comentários sobre "O AMOR OFERECE O CÉU E NÃO TEME O INFERNO"
  1. Não tenho preconceitos, mas acho que o amor não precisa ser demonstrado publicamente. Algumas vezes as pessoas passam do ponto e ficam ridículas. Mesmo entre pessoas de sexos diferentes o exagero não leva a nada.
    Amor é uma coisa linda, não precisa de grandes demonstrações sexuais.

Enviar uma resposta