O DESEJO É ONIPOTENTE E NÃO LEVA EM CONTA A REALIDADE

Freud ensina que é inútil se opor à fantasia com um argumento baseado na realidade. Inútil porque o desejo é onipotente. Se Sancho Pança dissesse ao Quixote que os moinhos de vento contra os quais ele se lançava não passavam de moinhos de vento, o Quixote não o escutaria, porque desejava que fossem seus inimigos.

Isso também significa que o desejo pode cegar e ensurdecer. Trata-se de uma ideia que os políticos e os geoestrategistas deveriam ter em mente, porque ela explica a intolerância e grande parte das guerras.

nadinha

Em 1085, Toledo foi reconquistada por Alfonso VI e se tornou o centro da luta dos cristãos contra os mouros. Em 1485, o Tribunal da Inquisição instalou na cidade suas primeiras fogueiras, e ela se tornou a capital da intolerância. Por isso, Toledo foi o centro dos ritos satânicos na Espanha. Ainda há alguns vestígios do satanismo, como a Rua do Inferno e a Rua do Diabo.

Angel Boligán, “Dom Quixote, Sancho Pança e o moinho”, ilustração


Facebook
Facebook
Youtube
Youtube
Google +
Google +
http://www.abcdavida.com.br/posts/o-desejo-e-onipotente-e-nao-leva-em-conta-a-realidade/
Comentários sobre "O DESEJO É ONIPOTENTE E NÃO LEVA EM CONTA A REALIDADE"

Enviar uma resposta